Terceira Porta à Direita: Setembro 2006

quinta-feira, setembro 14, 2006

Under the same moon




A terra é redonda.
Constatação simples. Sua redondice faz com que seja dia aqui e noite ali.
Ali é tão longe e tão perto que dói no coração de quem sabe que ainda é fim de tarde quando se vai dormir.
Noite, dia, dia, noite...relógio que não anda, mas corre contra tudo, sempre tão atrás, sempre tão na frente, e não há tranquilidade nessa pressa às avessas...nesse corre corre contra o tempo que é redondo como a terra que desencontra os seres.

Há mágica na minha noite que não é sua. Há sol no seu dia que não é meu. Há perfume nas letras que chegam e vão em horas distintas e nunca coincidentes. E sorrisos enormes ao lê-las. Lágrimas deliciosas ao entendê-las.

E o giro da terra e seu relógio não param...mas também não param os dias que passam apressados tentando encontrar o dia em que o sol e a lua chegarão na mesma hora. "We must be under the same moon right now." Sim estamos sempre todos, não? Não! Nunca. Mágico é o momento em que, como se a terra fosse plana, como se os ponteiros finalmente parassem, por poucos minutos apenas, a noite une corações distantes numa única e mesma luz.

Ou será que é a lua que reflete os corações que nunca foram realmente distantes?
Seja uma coisa, seja outra, we've always been under the same moon.