Terceira Porta à Direita: Espectro de mim

segunda-feira, maio 28, 2007

Espectro de mim

Lembro de ser Amélia.
De olhos luminosos
De sorrir com a alma
ao ver-te embriagado de minhas palavras

Lembro do peito cheio e
dos pés flutuando ao te ver surgir
Dos traços delicados que teu coração desenhou:
os grandes olhos que me destes,
sabendo - sem saber - que eu te via inteiro,
muito mais do que jamais verias

Lembro de ser palavras...
Lembro de ti sonhando com a hora em que eu,
em minha transparência, minha inexistência,
surgiria a tua frente com olhos repletos de céu,
lábios bêbados de cor
E assim... inexistindo... beijaria teu rosto,
e os cachos escuros de teus cabelos,
e tua boca tão minha,
e tua alma... que era eu

Lembro de minha angústia ao sonhar ser real
mesmo nos sabendo assim -
em dimensões diversas
porém desejos comuns

Lembro de ti finalmente prostrado onde eu sempre quis
Tão meu
Tão inatingível
Tão doce...

Lembro de ser Amélia
ser tua
ser um delírio
não mais que um vulto

Um mero espectro de mim



3 comentários:

Alice Salles... disse...

será que...
ser espectro de ti é
(no fim)
tão simples quanto,
sentir
como,
querer
tanto quanto,
desejar
tão pura e simplesmente
assim de tal forma,
amélia?
(no fim)
será?

Mme. Non Perfecta disse...

depois de milzinênios!!!!

Tenho post novo!

... disse...

tão lindo que
m'emudece...